Logos de Minas Gerais

boa noite e boa sorte

Letra A: A amizade

untitled3

01/12/2008

Amizade: do Lat. amicitate

s. f.,

afeição;

amor;

boas relações;

laço cordial entre duas ou mais entidades;

dedicação;

benevolência.

Como podem ter percebido, comecei esta obra com uma simples definição do dicionário para o que pode vir a ser o significado de amizade. Logo a princípio eu vos pergunto: O que é amizade? É uma pergunta que está engarrafada por uma centena de definições formadas pelos séculos dos séculos não acham? Por incrível que pareça hoje em dia é fácil para a humanidade em peso responder o que é amizade. Sigamos um pouco mais adiante. Eu vos pergunto: O que é um amigo? Seria apenas o praticante do que nós atribuímos à amizade? Seguindo os predicados atribuídos por um dicionário padrão um amigo é um ser que sente sentimentos nobres por uma outra. Vejam agora uma outra definição encontrada em um dicionário sobre uma outra coisa e vejam se entendem o que, de fato, quero dizer com este texto:

Amor: do Lat. amore s. m.,

viva afeição que nos impele para o objecto dos nossos desejos;

inclinação da alma e do coração;

objecto da nossa afeição;

paixão;

afecto;

inclinação exclusiva;

Essa foi a definição de um outro sentimento, o amor. Neste ponto é importantíssimo que comparemos as duas definições e cheguemos a uma conclusão: fora o fator paixão, ambos os sentimentos são, em verdade, seis e meia dúzia, ou seja, a mesmíssima coisa! Agora, como explicar o que é amizade, meus caros? Porque é tão difícil e ao mesmo tempo tão fácil crer que é assim mesmo que são as coisas? É por esse motivo que minha primeira mensagem deste fim de ano tem como título esse sentimento, o da amizade. Porque é importantíssimo que entendamos que amizade e amor são a mesma coisa e que esse denominativo que se chama amizade não passa de um veículo de nós mesmos para fugir de uma verdade, dolorosa por sinal, que é a que muitos de nós não queremos amor nossos amigos, que por lógica, são nossos amores.

Quantos de vocês já disseram às suas mães que as amam? E aos pais? E aos irmãos? E aos cônjuges? E agora o mais importante questionamento para esse texto: E aos amigos? Aposto que as raras exceções se apresentam da seguinte forma: os amigos já disseram às amigas e as amigas às amigas e nunca da forma contrária. Sabem por quê? Ora, é simples, porque é dado o nome amizade ao amor para mascará-lo quando não convém à sociedade que ele se mostre nu. Sim, senhores! A um homem não é permitido amar a outro, logo, são amigos ou homossexuais. A uma mulher não é permitido amar a um homem, logo, ou são casados ou amantes. Mais uma vez nosso querido amigo ego falando mais alto e, esse sim, nós amamos sem vergonha, mesmo sendo nosso amigo…

Toda vez que o amor não pode ser demonstrado ele vem “metamorfomisado” em amizade e isso não é muito difícil de perceber, pensem bem. Se você é amigo de um casal, de certo é porque não pode, aos olhos mesquinhos do ego da sociedade, amar a nenhum deles sem que seja massacrado pelo peso da miserabilidade de espírito daqueles que dizem ser homens e mulheres de bem. A amizade é apenas uma casca que carrega dentro de si o amor. Quando não podem se amar, devem ser amigos. Vocês sabem, coisas da vida, sem ressentimentos, o mundo é assim e nem eu nem você podemos mudá-lo NUNCA em nossa existências (Ao menos é isso que querem que você pense, afinal, somos filhos de Deus e só por isso ninguém deve ser perfeito. Não acha?). Vivemos em uma batalha das antíteses onde um sentimento só, grandioso e sublime, foi despedaçado em milhares de migalhas, sinonimamente hipócritas, sem a menor piedade pela corrupção do homem e seus pré-conceitos medonhos, cheios de critérios e regrados, que só servem para uma coisa: fazer de você um idiota. Idiota porque você tem a chave para ser livre e não a usa. Já se perguntou porque nunca a usou? Eu tenho a resposta. Você nunca a usou porque tem medo do que eu vou pensar de você, apesar de que meus pensamentos você não sabe e mesmo se soubesse NUNCA mudaria absolutamente nada em sua vida, sacou? Esse sentimento, tão martirizado pelo nosso egoísmo se vê obrigado e se esconder em meros artifícios linguísticos. Esse sentimento! Por acaso sabem a dimensão disso? Garanto, é enorme.

Não sei se lembram-se do que eu disse ao comparar ambas as definições. Eu disse que a única discrepância entre as duas seria a paixão. Talvez seja porque a paixão seja, de fato, um sentimento apenas entre homem e mulher. Realmente um diferencial…. colocado dentro do que é o amor, apenas paternal, fraternal e conjugal, ou melhor, exatamente como querem que achemos que é. O único diferencial válido e solitário, confundido dentro de um sentimento universal para perpetuar a vontade do povo, que não é a de Deus: Não se amem, amar é feio. Sejam amigos, é diferente.

Aqui eu concluo esse pensamento. Parabenizo a nós mesmos pelo número enorme de possíveis amores que nos permitimos ter (aqueles que nos fazem preconceituosos e perfeitos assim como somos), ou melhor, amigos… ou melhor, pior que isso.

Anúncios

quarta-feira, 15 julho 2009 - Posted by | Arquivado

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d blogueiros gostam disto: