Logos de Minas Gerais

boa noite e boa sorte

Obrigado por fumar

Resumo: Como se mostra a outra face da indústria fumageira e como as próprias pessoas concederam o direito à essa indústria de ingressar em nosso dia-a-dia econômico a ponto de se tornar indispensável. Também é feito um paralelo entre essa situação e o filme Obrigado por fumar, de Jason Reitman.

Extra: Vídeo com cenas do filme mencionado e link de um site especializado com a sua sinopse.

Os que vêm acompanhando esse periódico nessa última semana perceberam que estamos falando exaustivamente da lei anti-fumo. Particularmente ainda não expressei nenhuma opinião clara sobre o assunto, apenas ilustrei os fatos que se passaram. Citei ontem o caso da resistência da aprovação da lei anti-fumo no Rio Grande do Sul. O estado meio que depende economicamente dos lucros produzidos pela indústria fumageira, visto que é o maior do país nesse quesito e os políticos não estão dispostos a arriscar uma perca na receita do estado por conta dessa lei.

É fácil para uma pessoa que não fuma criticar o cigarro, afinal ela não precisa dele para viver. Está certo que os fumantes tecnicamente também não precisam, mas não é de escolhas que estou tratando agora. O que quero dizer é que é realmente fácil dizer “Eu não gosto de minha mãe e detesto quem gosta dela.” quando na verdade você é um homem de 40 anos bem empregado, casado e feliz. Agora se você é um jovem de 16 duvido que pense assim. Você precisa dela, pode até chegar a ão precisar, mas precisa. Assim também é a droga, a dependência de cada pessoa e a dependência econômica do estado do RS.

Um amigo meu me mostrou muito tempo atrás um filme chamado Obrigado obrigado-por-fumar-poster011por fumar do diretor Jason Reitman. O filme trata do hábito de fumar de uma maneira peculiar. O personagem principal, Nick Naylor, é um lobista e trabalha para uma companhia de cigarros. O seu trabalho é nada mais nada menos que mostrar às pessoas que o cigarro não é ruim. Vejam que o homem não quer provar que o cigarro é bom, somente que não é ruim, como não é mesmo se formos analisar do ponto de vista macroeconômico.

E do ponto de vista microeconômico? Imaginem só, eu preciso provar que o cigarro não é ruim para receber o meu salário e sobreviver em meio à matilha social. Se trabalhando em uma empresa limitado a um cubículo de 1×1 metro já é difícil, imaginem dessa forma!O homem realmente tem que ser bom no que faz.

Eu li sobre esse filme no site Omelete, muito bom por sinal e tive  a oportunidade de ver o filme. É interessante como durante todo o filme o protagonista trava uma batalha contra os antitabagistas. Com certeza deveria ser o protagonista mais odiado do mundo, mas por algum motivo não é assim que o filme transmite. O objetivo dele, a meu ver, é realmente ilustrar a dualidade hipócrita em que vivemos, a que citei no segundo parágrafo deste texto.  Existem trabalhos e trabalhos hoje mal vistos pela sociedade que no fim não caracterizam um ser humano como bom ou ruim e sim como um sobrevivente na selva de pedra. Talvez por isso o filme não nos remeta odiar o clássico cinismo do personagem.

Resumindo, será que fumar é realmente ruim ou será que no final das contas01 alguém acaba por encher o rosto com um sorriso com a morte das pessoas que fumam? Eu não vou fumar para saber, a resposta é óbvia. A outra face do cigarro é tão feia quanto a que ele mostra, seguindo exatamente o contrário do que a lei das antíteses mostra. No fim das contas a cara boa do cigarro é a que vemos nas ruas na boca das pessoas. Porque se formos depender da que está por detrás das câmeras estaremos acabados. Economicamente falando, se eles acabarem com ela acabam muita gente também, um exemplo disso é o lobista do filme que deponde do emprego. Legalizaram a profissão de assassinato em longo prazo e agora querem acabar com ela, vai entender a política.

Boa noite, boa sorte.

ANÚNCIO: Criei para mim um dito cujo Twitter, vejamos no que dá.

–> [www.twitter.com/zezzodantas] – Sigam-me os maus. Mwahaha.

–> Separei um trecho do filme para que vocês entendam melhor do que eu falava acima. Devo dar o braço a torcer, o filme é genial:



Para os interessados em saber mais sobre o filme Obrigado por fumar vou deixar o link do site que usei para me informar sobre ele: o Omelete. Vale muito a pena assistir ao filme para formarmos uma melhor opinião sobre o assunto e conhecer melhor a outra face do cigarro e de sua indústria.

Anúncios

segunda-feira, 10 agosto 2009 - Posted by | Arquivado |

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d blogueiros gostam disto: